Sonntag, 7. November 2010

Quanto tempo dura o silencio de Yah?! 400 anos?

Os 400 anos de “silencio”entre o “Antigo e o Novo Testamento”


Ao término do livro de Malaquias no “Antigo Testamento”, a nação de Israel está de volta na terra da Palestina(Israel) após o cativeiro babilônico, mas eles estão sob o domínio da grande potência mundial daqueles dias, a Pérsia e do Império Medo-Persa. Em Jerusalém, o templo tinha sido restaurado, embora foi edificado um pouco menor do que o que Salomao tinha construido e decorado em seus dias de glória.

Dentro do templo a linhagem de sacerdotes Aarônico ainda estava adorando e cuidando dos ritos sagrados o qual tinham sido ordenados pela lei de Moisés. Havia uma linhagem direta de descendência no sacerdócio que poderia ser rastreada até Aarão.

Mas a linhagem real de David tinham caído no pecado. Eles tinham conhecimento de quem era para ser o legítimo sucessor de David, e no livro de Ageu, Zacarias e Malaquias, seu nome nos é revelado, Zorobabel, príncipe real, ainda não havia rei no trono de Israel, nesse tempo eles eram uma nação de fantoches, sob o domínio da Pérsia. No entanto, apesar de terem sido cercado de fraquezas e formalismos como os profetas nos têm mostrado, mesmo assim eles estavam unidos. Não houve divisões ou facções políticas entre eles, nem eles foram divididos em grupos.

Agora, quando você abre o “Novo Testamento” no livro de Mateus, você descobre uma atmosfera completamente diferente – um mundo totalmente diferente. Roma é agora o poder dominante na terra. As legiões romanas se espalharam por toda a extensao do mundo civilizado. O centro do poder se deslocou do Oriente para o Ocidente, Roma. Israel é ainda um estado fantoche - os hebreus nunca recuperaram a sua própria soberania - mas agora há um rei no trono. Só que este rei é descendente de Esaú, em vez de Jacó (Israel), e o seu nome é Herodes, o Grande. Além disso, os sacerdotes, que agora se sentam no banco das autoridades religiosa (o Sinédrio) do país não sao mais da linhagem de Aarão. Eles não podem traçar sua descendência até aos sacerdotes aaronitas, ao contrário, eles são sacedortes contratados para os quais o oficio é vendido ao clientelismo político.

O templo é ainda o centro de culto hebreu, mesmo apesar de ter sido parcialmente destruído e reconstruído algumas vezes desde o término do “Antigo Testamento”. Só que agora as sinagogas que surgiram em todas as cidades parecem ser o centro da vida dos hebreus, muito mais do que o templo.

Nesta época, o povo de Israel tinha sido dividido em três partes principais. Duas delas, os fariseus e saduceus, eram mais proeminente do que a terceira, que era um grupo menor, os Essênios, que dificilmente poderiam ser designado como um grupo. No entanto não muito tempo atrás, eles entraram em grande destaque na história e ganharam um novo significado com a descoberta acidental por um jovem pastor árabe de alguns documentos que foram escondidos em cavernas com vista para o Mar Morto - os documentos ficaram conhecidos como Manuscritos do Mar Morto.

Agora, o que aconteceu nesses quatrocentos anos? Considerados “anos silenciosos” entre a inspiração dos ultimos profetas e os primeiros escritos”do chamado Novo Testamento”? Você se lembra que há uma texto na carta de Paulo aos Gálatas, que diz: "Quando o chegar a plenitude dos tempos, Yah enviará seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei". (Gálatas 4:4) Em outras palavras, o tempo do nascimento do Messiyah era a hora designada por Yah, o momento o qual Yah havia preparado a longo tempo. Alguns dos preparativos emocionante aconteceu durante esse tempo de "silêncio", no entanto, você vai entender muito melhor o Novo Testamento, se você entender algo sobre os acontecimentos históricos durante o período entre os Testamentos.

Após Malaquias cessar as profecias e concluir o cânon do Antigo Testamento - ou seja, após o número dos livros do Antigo Testamento se completarem e os profetas inspirados se calarem – YAH permitiu um período de tempo para os ensinamentos do Antigo Testamento penetrarem em todo o mundo. Durante este tempo, ele reorganizou as cenas da história, assim como num palco quando os atores precisam de um espaco de tempo para reorganizarem a cena e eles descem as cortinas, e quando a cortina sobe novamente, há uma configuração totalmente nova.

Por volta de 435 aC, quando o profeta Malaquias terminou o seu escrito, o centro do poder mundial começou a mudar de direcao partindo do Oriente para o Ocidente. Até este momento, a Babilônia tinha sido a grande potência mundial, mas esta logo foi sucedido pelo império médio-persa, lembre-se da história antiga. Esta mudança tinha sido previsto pelo profeta Daniel, o urso peludo, que significa a divisão entre Média e a Pérsia, sendo que os persas predominaram (Dan. 7:5) .

No auge do poder persa surgiu no país da Macedónia (que agora sabemos que é a Grécia), ao norte do Mar Negro, um homem com o nome de Filipe da Macedônia, que se tornou um líder em seu próprio país. Ele uniu as ilhas da Grécia e se tornou seu governante. Seu filho estava destinado a se tornar um dos líderes mundiais de todos os tempos, Alexandre o Grande. Em 330 aC uma tremenda batalha entre os persas e os gregos alterou por completo o curso da história. Nessa batalha, Alexandre, um homem jovem com apenas 20 anos de idade, levou os exércitos da Grécia a vitória sobre os persas e destruiu completamente o poder da Pérsia. O centro do poder mundial, em seguida, deslocou ainda mais para o oeste, para a Grécia, e assim nasceu o império grego.

Um ano após essa batalha histórica, Alexandre, o Grande, levou seus exércitos para dentro da Síria e para o Egito. No caminho, ele planejou sitiar a cidade de Jerusalém. Assim que os exércitos vitoriosos dos gregos se aproximaram da cidade, foi levada a mensagem para os hebreus em Jerusalém que os exércitos estavam a caminho. O sumo sacerdote na época, que era um homem idoso e piedoso com o nome de Jaddua (que, aliás, é mencionado na Bíblia no livro de Neemias) pegou os escritos sagrados do profeta Daniel e, acompanhado por uma hoste de outros sacerdotes vestidos de branco, saiu ao encontro de Alexander a alguma distância fora da cidade.

Lemos isto nos relatório de Favius Josephus, o historiador, que nos diz que Alexandre deixou o exército e se apressou em se encontrar com esta hoste de sacerdotes. Quando ele se encontrou com eles, o sumo sacerdote disse que tinha tido uma visão na noite anterior em que o Altissimo lhe havia mostrado um homem idoso, vestido em uma veste branca, que iria lhe mostrar algo de grande significado para si mesmo, de acordo com a nota , o sumo sacerdote, em seguida, abriu as profecias de Daniel e leu-as para Alexandre.

Pelas profecias, Alexandre percebeu que a referente ao bode notavél com o chifre em sua testa fazia menção a ele mesmo, que viria a partir do Oeste e esmagaria o poder dos Medo-Pérsas e conquistaria o mundo. Ele ficou tão emocionado com a precisão da profecia e, claro, pelo fato de que esta profecia fazia menção a ele mesmo, que ele prometeu que iria livrar Jerusalém do cerco, e mandou o sumo sacerdote de volta com honras. É bem dificil descrevermos o quanto de verdade há neste texto com o passar dos tempos, em qualquer caso, é o que nos relata a história.

Alexandre morreu em 323 aC quando ele tinha apenas 33 anos de idade. Ele tinha bebido até morrer quando estava ainda no auge de sua vida, triste porque não tinha mais espaco a conquistar. Após sua morte, seu império foi dividido, porque ele não tinha deixado nenhum herdeiro. Seu filho tinha sido assassinado logo no início, por isso não havia ninguém para herdar o império de Alexandre.

Depois de algum tempo, no entanto, os quatro generais que herdaram os exércitos de Alexandre dividiram seu império entre eles. Dois deles são particularmente notáveis entre nós. Um deles foi Ptolomeu, que ganhou o Egito e os países ao Norte da Africa, o outro foi Seleuco, que ganhou a Síria, ao norte da Palestina (Israel). Durante esse tempo, a Palestina foi anexada ao Egito, e sofreu muito nas mãos de Ptolomeu. De fato, para os próximos cem anos, a Palestina foi pega na máquina de moer carne durante os conflitos intermináveis entre a Síria no norte e o Egito no sul.

Agora, se você leu as profecias de Daniel, você vai lembrar que Daniel foi capaz, por inspiração, de dar conta de forma muito precisa e detalhada sobre os destaques destes anos de conflito entre o rei do norte (Síria) e o rei do Sul (Egito). O décimo primeiro capítulo de Daniel nos dá um relato surpreendente e mais preciso do que há muito já se cumpriu. Se você quiser comparar o quão precisa é esta profecia, sugiro que você compare esse capítulo de Daniel com o registro histórico do que realmente aconteceu durante esse tempo.
Durante este tempo, a influência grega foi se tornando forte na Palestina. surgiu entre os hebreus um partido chamado “os helenizados”(hebreus participantes da cultura grega) e eles estavam muito ansiosos para trazer a cultura e a filosofia grega para a nação e se liberalizarem de algumas leis hebraicas. Isto forçou uma separação em dois grandes partidos. Havia aqueles que eram fortes nacionalistas hebraicos, que queria preservar tudo de acordo com a Lei de Moisés. Eles resistiram a todas as influências estrangeiras que vinham para perturbar as antigas normas hebraicas. Este partido se tornou conhecido como os fariseus, que significa "separado". Eles foram os separatistas que insistiam em preservar tradições. Eles cresceram mais e mais forte, tornando-se mais legalista e rígidos em suas exigências, até que se tornaram alvo de algumas das palavras mais escaldante de Yahoshua. Eles se tornaram religiosos hipócritas, mantendo a forma externa da lei, mas violando completamente o sentido espiritual.

Por outro lado, os helenistas - os amantes da cultura grega - tornaram-se cada vez mais influentes na política do país. Eles formaram o partido que ficou conhecida nos dias do Novo Testamento, como os saduceus, os liberais. Eles se afastaram da interpretação estrita da lei e se tornaram os racionalistas da época. Fomos informados no Novo Testamento, que eles constantemente borbadeavam Yahoshua com uma série de perguntas sobre o sobrenatural, como "O que vai acontecer com uma mulher que foi casada com sete homens diferentes? Na ressurreição, de qual será ela mulher?" (Mateus 22:23-33) Eles não acreditavam na ressurreição, mas cercavam Yahoshua com esse e outros tipo de perguntas.

Ora, havia também um sacerdote jovem e rebelde que se casou com uma samaritana, e foi viver em Samaria em rebelião contra as leis judaicas, construiu um templo no Monte Garizim, que se tornou um rival do templo em Jerusalém. Isso fez com que a rivalidade se tornasse intensa entre os hebreus e os samaritanos, e essa rivalidade também é refletida no Novo Testamento.

Foi também durante este tempo, no Egito sob o reinado de um dos Ptolomeus, que as Escrituras Hebraicas foram traduzidas pela primeira vez em outro idioma, por volta de 284 aC Um grupo de 70 estudiosos foi convocado pelo rei egípcio para fazer uma tradução das escrituras hebraicas. Livro por livro eles traduziram o Antigo Testamento em grego. Quando eles terminaram, foi dado o nome de Septuaginta, que significa 70, devido ao número de tradutores. Esta se tornou a versão grega da Bíblia Hebraica. Muitas outras traduções se derivaram a partir desta. E é por isso que as citações do Novo Testamento difere em muita das vezes da do Antigo Testamento - porque vem da tradução grega. A Septuaginta existe ainda hoje, e é amplamente utilizada em várias partes do mundo. É ainda um documento muito importante.

Um pouco mais tarde, cerca de 203 aC, um rei chamado Antíoco o Grande , chegou ao poder na Síria, ao norte da Palestina. Ele capturou Jerusalém das mãos dos egípcios e deu inicio ao reinado da Síria sobre a Palestina. Ele tinha dois filhos, um dos quais lhe sucedeu e reinou por apenas alguns anos. Quando ele morreu, seu irmão assumiu o trono. Este homem, chamado Antíoco Epifânio, se tornou um dos perseguidores mais ferozes e violentos dos hebreus. Na verdade, ele é muitas vezes chamado o anticristo do Antigo Testamento, pois ele cumpre algumas das previsões de Daniel sobre a vinda de um homem que seria "uma pessoa desprezível" e "rei vil." Seu nome (que ele modestamente concedeu a si próprio) significa "Antíoco, o Ilustre". No entanto, alguns de seus próprios cortesãos concordaram, evidentemente, com as profecias de Daniel, e eles mudaram duas cartas em seu título. de Epipames para Epifânio, que significa "o louco".

Seu primeiro ato foi depor o sumo sacerdote em Jerusalém. terminando assim a longa linha de sucessão, começando com Aarão e seus filhos através de muitos séculos do periodo da vida hebraica. Onias o terceiro, foi o último da linha hereditária dos sacerdotes. Antíoco Epifânio vendeu o sacerdócio para Jason, que não era da linha sacerdotal. Jason, por sua vez, foi enganado por seu irmão Menelau, que comprou o sacerdócio e, em seguida, vendeu os vasos de ouro do templo, a fim de obter mais lucro. Epifânio deu fim a linhagem de sacedortes autorizada por Yah. Em seguida, sob seu reinado, a cidade de Jerusalém e todos os rituais religiosos dos hebreus começaram a deteriorar-se quando eles foram mantidos totalmente sob o poder do rei da Síria.

Em 171 aC Antíoco invadiu o Egito e mais uma vez a Palestina (Israel) foi pega no quebra-nozes da rivalidade.
Israel é o país no mundo aonde mais se faz guerras, e Jerusalém é a cidade mais capturada em toda a história. Foi saqueada, violada, queimada e destruída mais de 27 vezes em toda a sua história.

Enquanto Antíoco estava no Egito, foi noticiado que ele tinha sido morto na batalha, e Jerusalém muito se alegrou. O povo organizou uma revolta e derrubaram Menelau, o pseudo-sacedorte.
Quando o relatório chegou a Antíoco (que estava bem vivo no Egito) de que Jerusalém muito se alegrou com a notícia de sua morte, ele organizou seus exércitos e regressaram com fúria a terra, descendo sobre Jerusalém com vingança terrível.

Ele revirou a cidade, recuperou seu poder, e guiado pelo traiçoeiro Menelau, invadiu o santissimo santuário dentro do próprio templo. Cerca de 40.000 pessoas foram mortas em três dias de combates durante este tempo terrível. Quando ele forçou a entrada no Santo dos Santos, e destruiu os pergaminhos da lei e, para o horror absoluto dos hebreus, mandou oferecer sobre o altar sagrado um porco. Então, com o caldo feito a partir da carne deste animal imundo, ele jogou tudo no templo, profanando e violando deste modo por completo o santuário. Foi um choque terrivel para os hebreus, pois nunca lhes veio a mente que algo de tao ruim pudesse acontecer.
Foi esse ato de profanar o templo, que é referido por Yahoshua como o "sacrilégio desolador" que Daniel havia predito (Mt 24:15), e que também se tornou um sinal de desolação, comparado a vinda do Anticristo quando ele próprio vai sentar-se no templo, chamar-se Yah, e assim destruir o templo, segundo informações contidas no Novo Testamento, que ainda está por vir.

Daniel o profeta, havia dito que o santuário seria contaminada por 2300 dias. (Dn. 8:14) exatamente de acordo com a profecia, ela era exatamente 2300 dias - seis anos e meio - antes do templo ter sido purificado. Ele foi purificado, sob a liderança de um homem já famoso na história hebraica, Judas Macabeus. Ele foi um dos da linhagem sacerdotal, que com seu pai e quatro irmãos, revoltaram-se contra o rei da Síria. Eles convocaram os israelitas, para segui-los na batalha, e em uma série de batalhas em que foram sempre uma minoria, esmagaram e derrubaram o poder dos reis da Síria, capturaram Jerusalém, e purificaram o templo.
Os macabeus, que eram da família Asmoneana, deram inicio a uma linha de sacerdotes conhecidos como a dinastia Asmoneana. Seus filhos, pelo periodo de tres ou quatro gerações, governaram como sacerdotes em Jerusalém, o tempo todo tendo que se defender contra os constantes ataques do exército sírio, que tentaram recapturar a cidade e o templo. Durante os dias dos Macabeus houve uma temporária queda de dominação estrangeira, razão pela qual os hebreus veneravam com grande admiracao este tempo.

Durante esse tempo, um dos sacerdotes Asmoneano fez uma alianca com Roma, o poder emergente no Ocidente. Ele assinou um tratado com o Senado de Roma, que prevê ajuda em caso de ataque por parte da Síria. Embora o tratado tenha sido feito com toda a seriedade e sinceridade, foi justamente este pacto, que introduziu Roma na imagem e história de Israel. Originando algum tempo mais tarde a fusão da fé dos israelitas com a religião dos romanos, que foi denominado de cristianismo - o Império romano mais tarde ficou conhecido como ; Sagrado Império romano-
O modo de vida e os costumes dos hebreus desapareceram com o passar dos tempos e o cristianismo passou a ser a religião oficial do império- e do mundo.
Roma - cristianismo - religião do império
Israel - hebreus - o povo de YAh, a nação sacedortal

Pelo fato de as batalhas que estavam sendo travadas entre as duas forças oponentes se tornarem mais e mais pesada, Roma começou a ficar atenta. Finalmente, o governador da Iduméia, um homem chamado Antipater e um descendente de Esaú, fez um pacto com outros dois reis vizinhos e atacou Jerusalém para tentar subverter a autoridade do sumo sacerdote Asmoneano. Esta batalha se alastrou de forma tão feroz que, finalmente, Pompeu, o general romano, que passou a ter um exército em Damasco, na época, foi suplicado a intervir em ambas as partes. Sendo que um lado tinha um pouco mais de dinheiro do que o outro, e convencido por este argumento lógico, Pompeu veio de Damasco, entrou na cidade de Jerusalém – e novamente com terrível matança - derrubou a cidade e capturou-o para Roma. Isso aconteceu em 63 aC , A partir desse momento Israel estava sob a autoridade e o poder de Roma.

Apartir daí Pompeu e o Senado romano nomearam Antipater como Procurador da Judéia, e ele por sua vez, nomeou os seus dois filhos reis da Galiléia e da Judéia. O filho que se tornou rei da Judéia é conhecido por nós como Herodes o Grande. ("'" (Mt 2 : 1, 2)

Enquanto isso, os impérios pagãos ao redor estava se deteriorando e se desintegrando. Suas religiões tinha caído em dias maus. O povo estava farto do politeísmo e do vazio das crenças pagãs. Os hebreus passaram por momentos de pressão e falharam em seus esforços para se restabelecerem e tinham perdido toda a esperança. Havia um ar de expectativa crescente de que a única e a última esperança que lhes restava era a vinda do Messias prometido. No Oriente, os impérios orientais tinham vindo para o lugar onde a sabedoria e o conhecimento do passado havia se desintegrado e eles também estavam à procura de algo. Quando chegou o momento quando a estrela surgiu durante Belém, os sábios do Oriente que estavam procurando uma resposta para seus problemas avistaram-a eles imediatamente sairam para buscar a solucao apontada. Desse modo, "quando chegou o tempo da plenitude, Yah enviou o seu Filho."

É incrível como Yah usa a história para desenvolver seus propósitos. Apesar de que estamos vivendo nos dias em que poderia ser denominado "o silêncio de Yah", quando por quase 2.000 anos não houve nenhuma voz inspirada por parte de Yah, devemos olhar para trás - como eles fizeram durante esses 400 anos de silêncio – olharmos para o registro inspirado e perceber que Yah já disse tudo o que precisa ser dito, através de sua palavra escrita no Antigo e Novo Testamentos. os propósitos de Yah, com toda a certeza ainda nao terminaram. Ele está trazendo-os a tona assim como ele fez naqueles dias. E da mesma maneira como naqueles dias os homens chegaram a uma situcao desesperadora, e Aquele que cumpriria todas as suas esperanças vieram em seu meio, o mundo está enfrentando um novo momento em que o desespero se espalha amplamente em toda a terra. Desesperança é desenfreada em todos os lugares e neste momento Yah está se movendo para levar a cumprimento as palavras proféticas sobre a volta de seu Filho ao mundo para estabelecer seu reino. Quanto tempo? Quao próximo estamos? Quem sabe? Mas o que Yah tem feito na história, ele vai fazer de novo enquanto nos aproximamos do fim do "silêncio de Yah".

Kommentare:

Anonym hat gesagt…

meus parabens ,..que o Senhor nosso Deus continue derrando sobre sua vida esta uncao de sabedoria ...ore por mim porque fui chamada por Deus para ensinar escatologia e me sinto honrrada porisso...graca paz!!

Suéllen Bagesteiro hat gesagt…

Parabéns, amo vocês em Yahoshua,Que Yah abençoe vocÊs!

Suéllen Bagesteiro hat gesagt…

Que Yah abençoe vocês em o nome de Yahoshua, esse blog tem sido uma benção para mim, SHALOM